Segunda-feira, 30 de Março de 2009

Acabo agora mesmo de ler esta fascinante história que nos coloca no Império Otomano. Não resisti ao encantamento das folhas que chamavam por mim incessantemente... Como o canto dos pássaros de água de Karatavuk e Mehmetçik...

 

Nesta obra, o autor intercala uma bela narrativa sobre o dia-a-dia de uma pequena cidade da Anatólia, e dos seus intrigantes habitantes, com a biografia de Mustafa Kemal Ataturk (primeiro Presidente da República Turca).

De facto, trata-se de uma soberba ficção histórica com pinceladas de Tolstoi, sobre a qual muito pode ser dito... Mas não sei se isso é tão importante... Só sei que não consegui parar de ler as quase 700 páginas do livro.

O Império Otomano é o foco político da narrativa, contada em curtos e atraentes capítulos. Aí conhecemos um vasto conjunto colorido de personagens que tornam a vida da cidade pulsante e realista. Personagens bizarras, mágicas, misteriosas, belas, loucas...

Lado a lado andam o humor e a tragédia, ao som dos passarinhos de água saídos das mãos de Iskander, o Oleiro...

E os pássaros são tema recorrente na obra. Aliás, o título confere ao livro uma dimensão interessante, se retivermos as palavras deste Oleiro - O homem é um pássaro sem asas, e um pássaro é um homem sem mágoas. Aqui reside o elemento essencial do livro: o mal que o Homem faz ao seu semelhante, das mais variadas maneiras.

Querem um  conselho? Desliguem os telefones, façam um generoso bule de chá e sentem-se confortavelmente para experimentar uma boa leitura. Deixem-se levar, como eu,  pelos pássaros, esses seres livres das mágoas que só a humanidade pode ter...



publicado por I.M. às 18:52
A sua descrição para o livro foi tão linda que deu até vontade de lê-lo!

Parabéns pelo blog!
Qdo puder dê uma passadinha no meu!
http://livrosdebia.blogspot.com

Bjs
Bia a 2 de Abril de 2009 às 17:45

Amiga,

consegues ser mais rápida a ler os livros do que eu a saber que eles existem. Hoje vi este "Pássaro sem Asas" numa livraria e lembrei-me de ti. Mais um para pensar em comprar. Agora, como se aproxima a Feira do Livro, vou pô-lo na lista de livros a comprar.

Mais uma vez, adorei o comentário.
Maggie a 5 de Abril de 2009 às 00:53

Pois é!!!!!!

Eu vi-o na montra a olhar para mim e depois pensei que o coelhinho da Pascoa seria capaz de mo trazer... em vez de toneladas de chocolates!!!!!!

mas ainda não é desta que se me acaba a lista!!!!!!!!!!!!

Bjkas!!!!

avelaneira florida a 7 de Abril de 2009 às 11:35

Este livro é de facto uma grande obra (não sei se é obra prima ou sobrinha, mas é uma grande obra).
Vamos aprendendo um pouco da história do fim do Império Otomano e o nascimento da Turquia, misturada com magia e encanto (o oleiro e os seus pássaros de barro ...).
No entanto, quando narra episódios de guerra, sente-se o cheiro dos corpos a apodrecer.
Não deixem de o ler.
Anónimo a 28 de Junho de 2009 às 18:22

Quem fez o 4º comentário foi a Oliveira sem flor.
Anónimo a 28 de Junho de 2009 às 18:24

Estou a ler esse livro actualmente, e estou a adorar.. Uma narrativa excelente!
Guida a 18 de Agosto de 2010 às 23:27

Em torno de livros e escritos. À volta de histórias e estórias...
Na Prateleira...
Shelfari: Book reviews on your book blog
Estou a ler...

Steven Saylor, Empire

pesquisar neste blog
 
links