Domingo, 25 de Outubro de 2009

Saramago volta a estar na mira das atenções de todos. Por isso, decidi deixar aqui um comentário (breve e completamente impressionista, pois não tenho a presunção de que seja outra coisa) a um dos seus livros. Foi-me oferecido  há um ano por uns amigos que, como eu, partilham o gosto pela leitura. Já devia ter deixado as minhas impressões, mas o tempo foi passando, outros livros se foram impondo e o elefante Salomão  ficou, pacientemente, a aguardar o seu tempo...

 

Dizer o que se pensa não é tão fácil como parece à primeira vista. Muito mais quando se trata de um escritor polémico e controverso como José Saramago.

A Viagem do Elefante é um texto que combina factos reais com factos inventados. Por isso, pode parecer um romance histórico. Mas para mim não é, embora realidade e ficção  se entrelacem como uma unidade indissolúvel.

O livro está escrito quase em tom de fábula e talvez assim deva ser lido. Os dados históricos funcionam como um motivo para o arranque e, a partir daí, impõe-se a ficção. Ficamos perante uma reflexão sobre a humanidade, onde o humor e a ironia se unem à compaixão com que o autor observa as fraquezas humanas.

Salomão, o elefante, rapidamente se converte na imagem da inocência. É simples e humilde, é nobre e não se deixa levar pelas vaidades do mundo. Despreza o poder, nada o perturba e passa pela vida com o sossego que (supostamente) o cepticismo confere...

É deste modo - alegórico - que o autor apresenta a sua visão da condição humana.

À volta do elefante move-se uma sociedade assente na hipocrisia e no fingimento.

No entanto, a meu ver, esta viagem do elefante é, acima de tudo,  uma grande lição de estoicismo...

Por isso, não sei como classificar a obra.  Não sei se lhe chame conto, romance ou fábula. Não sei se lhe chame livro de viagens à maneira das crónicas renascentistas... Sei que o texto me parece uma alegoria da viagem da vida do ser humano, que decorre entre ambições, desejos, desconhecimentos...

Mas no fim, acabamos por chegar onde nos esperam...



publicado por I.M. às 11:46
AHAHAH...

E CÁ ESTÁ ELE!!!!!

Continuo a achar que este é um livro espantoso!!!!O Salomão é apenas um "adereço" porque a Viagem é feita ao interior do ser humano, possivelmente do próprio autor...

Mas acho que vou poder "discutir" este e outros pormenores numa quinta-feira próxima, não é?

Bjkas!
avelaneiraflorida a 26 de Outubro de 2009 às 21:28

A Dona Avelaneira leu o Elefante? Muito bem. E vai discuti-lo numa quinta com livros? melhor ainda. Finalmente vou ver a Dona sem ser na escola? Acho excelente!
Anónimo a 28 de Outubro de 2009 às 14:42

Ai vais levar vais, ó Anónima.´!!!!..
Ainda apanhas com um "elefante" em cima , numa quinta, num cercado, numa viagem, sei lá...
E não fico de "trombas" porque durante o dia 12 vou estar de VISITA de Estudo (Sim, com Kit e tudo!!!) à Companhia das Lezírias...
Portanto ainda te arriscas a que traga um touro de "souvenir" eheheeh

E entretanto , aqui a IM, vai aquecendo o cházinho!!!!!

Bjkas!

Em torno de livros e escritos. À volta de histórias e estórias...
Na Prateleira...
Shelfari: Book reviews on your book blog
Estou a ler...

Steven Saylor, Empire

pesquisar neste blog
 
links