Terça-feira, 03 de Novembro de 2009

Por estes dias das "bruxas", onde as fronteiras deste mundo e do outro são praticamente inexistentes (lá diz a tradição celta), decidi ler um livro que se enquadra nesta temática "fantástica" (quase tétrica). Vi-me envolvida no mundo de fantasia de Tim Burton. Eduardo Mãos de TesouraCharlie e a Fábrica de Chocolate e mesmo A Noiva Cadáver foram fazendo eco à medida que a minha leitura avançava num universo paralelo, quase de quinta dimensão...

Deixo umas vagas impressões sobre um pequeno livro marcado pela égide da diferença. Em todos os sentidos...

 

A Mecânica do Coração é, sem dúvida, um livro diferente. Num mundo feito de sonhos, de fantasias, de sombras... o autor aborda o tema da diferença e da rejeição. Mas aborda também o tema da paixão e das suas destrutivas incompreensões, da dor experimentada por um coração triturado por um amor demasiado forte para ele. Do romance transborda uma atmosfera que nos desliga da realidade, mas sem nunca deixar de no-la lembrar...

A obra é um conto para as crianças grandes,que nós somos, sempre sensíveis a este género alegórico que, de uma certa forma, transcende as emoções.

Diferente, sem dúvida: um homem com coluna de metal, uma mulher que coleciona as suas lágrimas para se reconfortar quando as bebe, um ilusionista relojoeiro...Tão diferente como Alice no País das Maravilhas. Porque é ao mundo de Burton ou de Carrol que o universo do livro faz apelo... É um texto agradável de ler, para quem gosta do género, uma fantasia feérica sob o signo do amor. Acima de tudo, é um hino à diferença. Um hino que pede para ser lido e depois para ser partilhado.

Fiquei a pensar que, sem dúvida, um artista é sempre melhor quando está triste...

 



publicado por I.M. às 14:45
Em torno de livros e escritos. À volta de histórias e estórias...
Na Prateleira...
Shelfari: Book reviews on your book blog
Estou a ler...

Steven Saylor, Empire

pesquisar neste blog
 
links