Quarta-feira, 21 de Janeiro de 2009

 

 

A Feiticeira de Florença mergulha-nos num mundo de maravilhas (quase no sentido medieval do termo) e, ao mesmo tempo, num mundo de figuras que deixaram traços na História: Medici, Machiaveli, Savonarola...

Em paret história, em parte lição de História, o livro introduz-nos no Império Mongol do Imperardor Akbar e vemo-nos rodeados de danças, histórias e lendas descritas com graciosidade e com arabescos intrincados.De repente, numa viragem desconcertante, damos por nós numa aldeia próxima de Florença, onde três adolescentes procuam raízes de mandrágora. Um deles é Niccolo Machiaveli...A partir daqui, História e lenda misturam-se uma vez mais no cenário da Itália Renascentista.Mas nunca deixamos de pensar em Qara Koz, a princesa Mongol esquecida, cuja beleza encantas todos os que a vêem...Uma glorificação da arte de contar histórias e do poder da mulher, A Feiticeira de Florença mistura personagens reais com personagens ficcionais. E é aqui que o autor dá o tom à sua obra: o real pode tornar-se arte e a arte pode tornar-se real...



publicado por I.M. às 19:48
Em torno de livros e escritos. À volta de histórias e estórias...
Na Prateleira...
Shelfari: Book reviews on your book blog
Estou a ler...

Steven Saylor, Empire

pesquisar neste blog
 
links