Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

 

 

A minha avó era cega. Imaginem como foi,  para mim, conhecer Alienor. Toda a minha infância voltou a acontecer…

 

 

 

Ilustrado sem ilustrações, o livro inspira-se nas famosas tapeçarias do Museu Cluny  - “A Dama e o Unicórnio”.
Utilizando, de forma alternada, uma série de narradores, a autora conta uma história de um mundo no qual arte e sociedade andam a par com tensões de género, restrições de corporações e diferenças de classes.
De um modo geral, a tapeçaria é muito raramente preferência de topo de um admirador de arte. Esta obra vem mudar essa percepção, ao convidar o leitor a entrar num novo mundo de arte. Um convite que não conseguimos declinar, pois a autora insufla vida nos artistas e artesãos da Idade Média, tornando este tempo vívido e contemporâneo. Abre, assim, uma janela para a vida dos nobres, dos plebeus, desses artistas e desses artesãos usando a criação das artes como força unificadora.
Tal como um conto de fadas, o romance aponta para a eterna luta do Bem e do Mal. Mas mais do que isso, faz-nos perceber que as nossas vidas são tapeçarias de pequenos acontecimentos sensuais e tentadores, românticos e proibidos…E embora deles sejamos timoneiros, devemos viver cada um dentro de si mesmo, sem ver a obra completa…

 


publicado por I.M. às 19:26
Em torno de livros e escritos. À volta de histórias e estórias...
Na Prateleira...
Shelfari: Book reviews on your book blog
Estou a ler...

Steven Saylor, Empire

pesquisar neste blog
 
links